Gravida pode viajar de avião

Indenizar > Dicas ao passageiro >

Gravida pode viajar de avião

Viajar de avião pode ser muito desgastante ou muito relaxante. Tudo depende dos motivos para os quais a pessoa está fazendo essa viagem e quanto tempo ela irá durar. 

No entanto, existe um momento que costuma gerar muitas dúvidas, tanto em homens ou mulheres: a gravidez. Afinal, mulheres grávidas podem viajar de avião?

Como sabemos, a variação de pressão atmosférica e o tempo de deslocamento podem prejudicar a saúde de algumas pessoas. Por isso, algumas pessoas acreditam que esses fatores podem prejudicar a gestação, provocando até mesmo abortos ou malformações no feto. 

Para explicar esse tema e esclarecer as dúvidas em torno do assunto, elaboramos um texto com tudo o que você precisa saber. Confira. 

Grávidas podem viajar de avião?

A resposta para a pergunta central desse texto é sim. Em geral, as gestantes podem viajar de avião. Contudo, antes de embarcar, é necessário que a mulher consulte o seu médico e a companhia aérea. 

Gravidez e viagem de avião

Gravidez e viagem de avião

A viagem não deve ser marcada até que a avaliação do obstetra seja feita, identificando assim como está a saúde da mãe. Grávidas com complicações como diabetes, pressão alta, anemia falciforme, sangramento vaginal ou outros problemas graves não podem viajar. 

É importante conversar com seu médico também sobre as reações adversas que podem surgir durante o voo e, caso a viagem seja para o exterior, a gestante deve conversar com o especialista, inclusive, sobre a necessidade de tomar vacinas para prevenir doenças endêmicas na localidade. 

Quando a viagem de uma gestante é autorizada, é preciso ficar atenta se haverá a necessidade do preenchimento e assinatura de um termo de responsabilidade no momento em que o check-in for feito. 

Até quantas semanas de gestação a viagem é liberada?

Por se tratar de um evento importante, que pode mudar a vida das mulheres e de toda a família, é necessário ficar atento a outro detalhe importante: até quantas semanas a viagem de avião é liberada nestas condições. 

Embora não haja uma regra padronizada sobre o prazo, as companhias aéreas costumam informar que até as 27 semanas de gravidez a viagem é liberada, tanto para destinos nacionais quanto para internacionais. 

No entanto, a passageira deve informar sua condição no momento em que estiver comprando sua passagem. 

Agora, se a viagem ocorrer depois da 28° semana, é importante que a gestante apresente um atestado médico, informando que a viagem está autorizada. O documento deve ter sido emitido sete dias antes do voo. 

Esse atestado deve informar a origem e o destino da viagem, a data dos voos de ida e volta, o tempo máximo permitido de voo, quando o parto está estimado, a idade gestacional e conter também um parecer médico. 

Há um prazo limite para que a viagem de uma gestante seja autorizada?

Como não há um consenso sobre o prazo limite para a viagem de uma gestante, é importante prestar atenção sobre o avançar da gestação, para que a saúde da mãe não seja colocada em risco durante o trajeto. 

Por exemplo, quando a gestação já estiver avançada, pode ser necessário que a gestante esteja acompanhada de seu médico responsável durante todo o trajeto. Já quando a gravidez chega à 39° semana, o embarque não é permitido. 

Antes de embarcar, as mulheres precisam avaliar, ainda, o tempo de duração do voo de volta e orientações adicionais em caso de gestações múltiplas. 

Para evitar problemas, é necessário também que as grávidas não embarquem em aviões pequenos e sem cabines pressurizadas, pois os locais podem aumentar os batimentos cardíacos e a pressão arterial da mãe, afetando também o bebê. 

Depois do parto, as companhias aéreas autorizam a viagem apenas depois do oitavo dia de nascimento da criança. 

Dicas para tornar a viagem de uma gestante mais confortável

Além das orientações do médico, existem algumas dicas que podem tornar a viagem de avião de uma gestante mais confortável. 

Ao embarcar, a dica é tirar os sapatos, pois os pés e as pernas podem inchar durante o trajeto. Procure se levantar e caminhar um pouco até a aterrissagem. Faça isso a cada hora, para melhorar a circulação das pernas. 

Enquanto estiver sentada, se alongue, gire e mova os tornozelos em alguns momentos e tome muita água durante a viagem. Evite bebidas alcoólicas, café, refrigerantes e chás, para evitar o risco de desidratação. 

Tome cuidado também com a alimentação. Coma apenas aquilo que seu apetite permitir, para que o estômago não seja sobrecarregado durante a viagem. 

Ao comprar sua passagem aérea, escolha assentos perto das asas ou na frente, assim você sentirá menos o movimento do avião. Quando afivelar o cinto, coloque-o sempre abaixo da barriga. 

Quando for viajar, coloque sapatos confortáveis e roupas mais largas. Leve também um casaco, para que não a gestante não fique resfriada no trajeto. 

Caso a gestante sinta enjoos, ouvidos tapados, tontura ou dores de cabeça, não é necessário apreensão, pois esses eventos costumam ser normais, sobretudo no momento da decolagem e da aterrissagem. 

Isso acontece porque as mudanças de pressão do avião podem afetar a saúde da mãe, mas não afetam o desenvolvimento do bebê. 

Viagens de avião podem ser algo muito mais complicado quando se está grávida, sobretudo com muitas semanas. Por isso, antes de embarcar, faça uma avaliação criteriosa se o deslocamento é realmente necessário. 

Isso porque, além do desconforto de passar longas horas sentadas em uma poltrona pequena, o deslocamento pode aumentar o risco de que apareçam problemas de saúde como varizes ou trombose. 

Aqui, o uso de meias elásticas com compressão podem ajudar na circulação  e aliviar o inchaço das veias durante o voo. Se o deslocamento for muito longo, pode ser necessário o uso de medicamentos para estimular a circulação, o que deve ser prescrito por um médico de confiança. 

Está gestante e vai viajar? Procure se informar sobre as regras definidas pelas companhias aéreas, pois algumas podem exigir documentações específicas para liberar o embarque das grávidas, principalmente as que já estão com gestação avançada. 

No entanto, seguindo as recomendações médicas, é possível fazer uma viagem com conforto e em segurança.

Teve problema com voo cancelado, atrasado ou overbooking?

Comentários