Excesso de bagagem

Indenizar > Dicas ao passageiro >

Excesso de bagagem

Muitas vezes, quando vamos viajar de avião, principalmente quando se trata de nossa primeira viagem, não sabemos muito bem o que levar e muito menos como montar uma mala.

O resultado, em muitos casos, é uma mala cheia. Tão cheia que supera fácil o peso definido pela companhia área como limite para embarcar no avião, seja como mala de mão ou como bagagem a ser despachada.

Mas, quando isso acontece, as consequências são tão pesadas quanto a multa. Em geral, o viajante que extrapola o peso da bagagem acaba pagando uma multa que pode ser bem salgada.

Por isso, para ajudar aqueles que estão com viagem marcada e ainda não sabem muito bem como montar sua mala, preparamos um texto com tudo para saber sobre excesso de bagagem e como não cair nessa armadilha.

O que é excesso de bagagem?

Excesso de bagagem é quando um viajante embarca em um avião com mais bagagem do que ele estava autorizado a viajar. O peso do excesso de viagem é identificado através da pesagem das malas.
Caso seja identificado excesso de bagagem, será aplicada uma multa, que irá variar de acordo com o destino e a companhia aérea a que a pessoa estiver viajando, pois cada empresa pratica uma política de preços.

Por exemplo, na Latam, para destinos nacionais, o excesso de bagagem em malas de 24 a 32 kg custa R$ 140. Quando a mala pesa de 33 a 45 kg, esse valor é de R$ 280, e as malas com mais de 158 cm pagam R$ 110 por excesso de bagagem.

No caso dos destinos internacionais, pela mesma companhia, uma mala que pese entre 24 a 32 kg paga US$ 100 de excesso de bagagem. Quando o peso sobe para uma faixa entre 33 a 45 kg, o valor sobe para US$ 200, enquanto as malas com mais de 158 cm pagam US$ 200 por excesso de peso.

É importante entender que boa parte das empresas cobra 0,5% do trecho por quilo cujo peso foi excedido, no caso de voos nacionais. Já para os destinos internacionais, é cobrado 1% da tarifa cheia por trecho, deixando a viagem bem mais salgada.

Qual o peso permitido das malas de viagem?

Cada companhia aérea nacional permite que cada passageiro embarque com duas malas de viagem, sendo que seu peso individual não pode superar os 23 kg, peso limite para viagens dentro do Brasil e para passeios dentro da América do Sul.

Essas regras valem também para o tamanho da mala. Mesmo que o peso esteja de acordo, se o tamanho da bagagem for superior a 158 centímetros, o viajante pagará uma tarifa extra.
No caso das viagens internacionais, o passageiro pode embarcar com duas viagens, cujo limite de peso individual é de 32 quilos.

Vale ficar atento também à classe do bilhete, que também altera alguns pesos permitidos. Por exemplo, para os passageiros da primeira classe, é permitido transportar até 40 kg de bagagem. Na classe executiva, esse montante cai para 30 kg, sendo de 20 quilos para os passageiros da classe econômica.

Quando há crianças no voo, a quantidade de bagagem permitida para esse público não pode superar os 10 quilos, desde que não supere os 115 centímetros.

O que é possível identificar como bagagem sem cair na armadilha do excesso de peso?

Durante a viagem, além das duas malas com pesos permitidos, o viajante pode transportar a bagagem de mão. Essas malas ou mochilas não podem pesar mais de cinco quilos e ter 115 centímetros de volume.

Mas, além delas, o turista pode levar consigo alguns itens que não são contabilizados como bagagem. Fazem parte desta lista livros e revistas, guarda-chuva, bengala, muletas, cadeiras de rodas e carrinho de bebê.

Já os donos que vão transportar seus animais domésticos no avião, precisam ficar atentos à forma de cobrança. Como não são incluídos na bagagem, os donos que viajam com animais pagam uma taxa, que varia de acordo com a companhia aérea.

A mesma política, de cobrança de taxa especial, é aplicada em alguns equipamentos esportivos, instrumentos musicais e televisores ou monitores.

Preciso viajar com mais bagagem. O que fazer?

Em alguns casos, os passageiros precisam viajar com mais bagagem do que é permitido sem a cobrança de multas ou taxas. Nestes casos, quando a necessidade obriga a levar mais peso, é possível contratar peso extra.

Isso significa que turistas, em algumas situações especiais, podem aumentar o peso de sua mala para até 45 quilos, ante 23 quilos liberados. O tamanho da bagagem também pode aumentar, saindo dos 158 cm para até 300 cm.

Para garantir essa permissão de levar mais bagagem é necessário que o visitante compre um espaço a mais no compartimento de carga do avião. Contudo é preciso ficar atento.

Isso porque se sua mala tiver mais do 45 quilos ou 300 centímetros, ela não poderá transportada como bagagem despachada. Será necessário contratar um serviço de transporte de carga.

O que não pode ser transportado na bagagem do avião?

Além de se ater ao peso e tamanho de suas bagagens, os viajantes devem prestar atenção também no que pode e no que não ser levado durante a viagem, tanto na bagagem de mão como na despachada.

Itens pontiagudos, como navalhas, lâminas de barbear, alicates de unhas e cutículas, agulhas de tricô e crochê, depiladores e lâminas, facas, tesouras, bisturis, seringas e agulhas, picadores de gelo e saca-rolhas, além de machados e machadinhas só podem ser transportados em bagagens registradas.

Já outros itens, como esmaltes, removedores de esmaltes, medicamentos (tanto líquidos quanto em comprimidos) podem ser transportados inclusive na bagagem de mão. Contudo, quando se tratar de medicamentos tarja preta, o passageiro deverá apresentar a receita médica.

Além destes, itens de higiene pessoal, como pasta de dente e enxaguante bucal tem sua entrada garantida, bem como produtos de maquiagem, além de embalagens de shampoo e condicionador.

Cabe ficar atento também ao volume permitido de ingresso no avião. Cada embalagem deve ter até 100 ml. Lembrando que malas foram das recomendações das companhias aéreas podem não ser despachadas.

Teve problema com voo cancelado, atrasado ou overbooking?

Comentários